Semana do Idoso tem exposição de desenho e música sertaneja

Postado em Assessoria de Imprensa

Para o aposentado João Marcos Polanski, desenhar é “eternizar o momento, uma forma de se expressar”. O desenho sempre esteve em sua vida, desde a infância no seminário. “Lá tudo era estimulante, os detalhes da arquitetura barroca, rococó”, relembra.

Mas alguns acontecimentos o afastaram de seu dom. Há cerca de um ano, o morador da Casa do Vovô, unidade da Fundação de Ação Social (FAS), que andava tristonho, foi desafiado por uma das funcionárias a voltar a desenhar. “Ela tirou da bolsa algumas fotos da filha e me deu um lápis de sobrancelha e desde então retomei o desenho”, conta o aposentado.

O resultado dessa empreitada está exposto na entrada do auditório do Hospital do Idoso Zilda Arns e integra a programação cultural da Semana do Idoso. “Existe uma grandeza nisto, é instante que te inspira: uma gota de chuva, um lugar ou um retrato”, descreve Polanski.

O trabalho chamou a atenção da dona de casa Maria Rosenilda Nunes que foi ao Hospital do Idoso visitar a sogra internada. “Achei tudo muito bonito, impressionante”, retrata.

 

Música

Nesta quinta-feira (28), quem compareceu ao Hospital do Idoso pode acompanhar as apresentações da Associação Paranaense de Artistas Sertanejos e Amigos e do Coral Arte de Encantar. As músicas transformaram o auditório em pista de dança.

Pela manhã, os pacientes do hospital receberam a visita do grupo de adolescentes da Unidade de Acolhimento Institucional do Novo Mundo. Com o intuito de trocar experiências, as adolescentes escreveram cartas e confeccionaram lembranças para os idosos internados.