Share |

Hospital municipal ambienta filme que aborda violência contra a mulher

Postado em Assessoria de Imprensa

Foto: Guilherme Wille
O Hospital Municipal do Idoso foi set de gravação do telefilme “Meu nome é Ana”, do diretor André Faria. Nesta quinta-feira (23/1), em cerca de dez horas de gravações, a equipe de produção utilizou uma enfermaria, um consultório e o bosque como cenário das filmagens.
 
O filme aborda temas como a violência contra a mulher e o empoderamento feminino. A história gira em torno da personagem Ana,  interpretada pela atriz Viviane Maria, que se vê refém da rotina obsessiva, neurótica e abusiva do marido.
 
Após uma situação humilhante no jantar, Ana sofre uma crise nervosa. O marido forja uma tentativa de suicídio e a interna em uma clínica psiquiátrica, que é ambientada nas instalações do Hospital Municipal do Idoso.
 
O hospital também já foi palco de outras gravações de filmes e séries. Para o diretor executivo da unidade, Altair Rossato, receber os atores exige uma logística para liberar os setores sem prejudicar o atendimento.
 
“É necessária uma comunicação antecipada entre os setores para viabilizarmos o trabalho da equipe de filmagem sem conflitar com a rotina hospitalar. Mas, com planejamento, é possível organizar os processos sem prejuízo para os pacientes”, relata Rossato.
 
“Meu nome é Ana” está previsto para janeiro de 2021. O produtor do filme, Fernando Meira, é responsável por outros trabalhos que tiveram o Hospital do Idoso como locação. “A gente sabe como é difícil esse tipo de parceria [gravar em ambiente hospitalar], e foi tudo muito rápido e tranquilo”, comentou. 
 
Segundo Meira, poder realizar as cenas em um hospital foi muito importante pelo clima, principalmente para a composição do personagem da Ana.