Error: Only up to 6 modules are supported in this layout. If you need more add your own layout.

Terapia nutricional na internação é tema de encontro

Escrito por Fernanda Luvizotto. Postado em Assessoria de Imprensa

Fotos: Guilherme Wille

A Fundação Estatal de Atenção à Saúde (Feas) realizou na tarde desta terça-feira, 19, o primeiro Encontro de Nutrição. O evento, realizado no auditório do Hospital Municipal do Idoso, foi voltado a nutricionistas e profissionais da saúde e teve como objetivo debater o papel da terapia nutricional na recuperação do paciente.

Para a coordenadora do Serviço de Nutrição do Hospital do Idoso e membra da comissão organizadora, Ana Paula Jenzura, o envelhecimento da população orienta as ações em saúde para “a promoção do envelhecimento saudável”. “O aprimoramento das nossas estratégias nutricionais permitem que os pacientes tenham alta mais precoce e diminuam os reinternamentos”, disse.

A desnutrição hospitalar foi um dos temas debatidos. A nutricionista Victória Marzagão, assessora técnica da divisão médica da Nestlé, destacou que “para cada R$ 1 investido em terapia nutricional adequada, há uma economia de R$ 4 no tratamento total do paciente”.

Com base em dados da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (Braspen/SBNPE), Victória alertou para a taxa de desnutrição, que varia entre 20% a 60% de adultos internados, com quadro agravado em pacientes idosos.

Nas mesas redondas foram apresentados os perfis nutricionais dos pacientes do Hospital do Idoso e do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD). No Hospital do Idoso, 75% dos pacientes acompanhados pelo Serviço de Nutrição fazem uso de dieta enteral (oferta de nutrição líquida por meio de uma sonda colocada no estômago, duodeno ou jejuno). Dados do primeiro semestre desde ano demonstram que 65% dos pacientes admitidos pelo programa apresentavam baixo peso.

O encontro abordou ainda temas como sarcopenia (que é a perda de massa e força na musculatura pelo envelhecimento), a disfagia (alteração na deglutição), dieta modificada na consistência, entre outros.

“Realizamos uma discussão sobre a gastronomia hospitalar, como a dificuldade em se nutrir o paciente com dieta modificada na consistência devido a perda de nutrientes durante o processo de confecção da refeição e o desafio de tornar a refeição hospitalar mais aceitável para os pacientes”, explica Ana Paula.

Segundo a coordenadora, com a gastronomia hospitalar em fase de implantação, o Hospital do Idoso já conseguiu melhorar a aceitação total da dieta em 17%, apenas realizando o porcionamento mais atrativo das dietas.