Share |

Agência transfusional do Hiza completa 3 anos, reduz tempo de procedimento e evita desperdícios

Postado em Assessoria de Imprensa

Foto: Fernanda Luvizotto

Nesta quinta-feira (14), Dia Mundial do Doador de Sangue, a Agência Transfusional do Hospital do Idoso Zilda Arns completa três anos de funcionamento e 6,5 mil bolsas transfundidas no período. A criação da unidade tornou as transfusões de sangue mais rápidas e seguras, além de reduzir o desperdício de componentes do sangue.

Com a agência, o hospital além de armazenar o sangue e seus componentes (como hemácias e plaquetas), realiza testes compatibilidade do material biológico do receptor e doador, monitorando a refrigeração e integridade dos componentes, reduzindo em 70% o tempo dos procedimentos de transfusão.

Até então, quando o paciente precisava passar por uma transfusão, a equipe de enfermagem coletava uma amostra de sangue, que era levada ao Hospital do Trabalhador. “A demora maior estava neste transporte dos materiais, que levava em torno de 3 horas”, conta a farmacêutica Larissa Savoia Assef.

A Agência funciona 24 horas e conta uma equipe formada por seis técnicos de laboratório, um médico hematologista e um farmacêutico e realiza o acompanhamento dos procedimentos.

“Fazemos o monitoramento de todo o processo: da infusão do sangue, do quadro clínico do paciente – antes e depois da transfusão – e a conformidade dos sinais vitais e eventuais reações”, descreve Larissa. A agência transfusional também encaminha material para a Maternidade Bairro Novo.

 

Sem desperdício

A implantação da agência transfusional reduziu o desperdício de hemocomponentes como, por exemplo, de plasma fresco. Muito usado em cirurgias, para garantir estoque em casos de emergência, o material era solicitado ao Hospital do Trabalhador e enviado em temperatura ambiente para uso imediato. O que não era utilizado, era descartado. “Hoje, o mantemos o material congelado e descongelamento é feito apenas quando e na quantia necessários”, relata Larissa.